A carregar

3.000.000 «on the road»

Para além da meta dos 3.000.000 de unidades produzidas, celebramos também a viagem que nos trouxe até aqui.

Para além da meta dos 3.000.000 de unidades produzidas, celebramos também a viagem que nos trouxe até aqui.

  1. 3.000.000 «on the road»

A

memória recorda-nos que em junho e julho celebramos marcos importantes na nossa história.

No dia 16 de junho de 2003 celebrámos 1.000.000 de carros produzidos, ano que ficou marcado por uma quebra no volume de produção que nos levou à assinatura de um acordo laboral histórico, com a introdução dos downdays.

«Na época já tinha um grande orgulho por fazer parte da equipa de produção. Foi único. Ainda recordo do nervosismo em palco ao entregar simbolicamente a chave do carro ao Dr. Durão Barroso, primeiro-ministro na época. A celebração foi notícia na imprensa nacional. Senti que estava numa empresa muito importante para o país e com futuro.», partilhou Cláudia Mendes, coordenadora de produção de ferramentas, na área de Prensas.

Sandra Lima, técnica de danos de sistema, na área da Montagem conta-nos sobre uma «uma festa muito bonita e imponente. Tive imenso orgulho. Sentia que fazia parte de uma enorme equipa e de um grande projeto. Foi tudo vivido com muita intensidade. A Volkswagen Autoeuropa já era um marco para a economia de Portugal e que contribuía para o desenvolvimento do meu distrito, Setúbal.»

Catarina Ribeiro, especialista de Qualidade, também participou no evento e na foto oficial com o primeiro-ministro e os membros do conselho de administração do Grupo: «Estava nervosa pela responsabilidade de fazer parte do momento. Foi muito emotivo e aguardado. Talvez por ter sido a nossa primeira “grande” celebração. Continuo a acreditar que somos um exemplo no contexto nacional e, em 2003, senti que se abriu uma porta. Foi uma porta de esperança. E concretizou-se com o “nosso” T-Roc em 2017.»

Dez anos depois, a 1 de julho de 2013, os monitores na montagem marcaram 2.000.000 de unidades produzidas desde o arranque da fábrica em 1995. A fábrica já fazia quatro modelos, Sharan, Eos, Scirocco e SEAT Alhambra, mas adivinhava-se que, em breve, passaria a sair mais um da sua linha de montagem: o T-Roc.

Pedro Pascoal, supervisor na área de Prensas, fala-nos com orgulho do seu sentimento de pertença à equipa que descreve como «coesa, proactiva e motivada. Que sempre soube ultrapassar os desafios. Atingir este volume, fez-nos acreditar que iríamos ultrapassar marcos ainda mais ambiciosos.». Muito além dos números de produção, o Pedro acredita que «fomos e continuamos a ser um exemplo de desenvolvimento a todos os níveis. Há dezenas de indústrias que cresceram connosco. Novas formas de trabalhar, abordagem de problemas, cultura de qualidade, gestão de recursos humanos. Somos embaixadores do que de melhor se faz em Portugal.»

 

 

Para Paulo Fidalgo, supervisor na área de Pintura, foi mais um dia de trabalho. Mas um dia especial: «Estava orgulhoso por assinalar este número. Estou cá desde o primeiro carro. E, apesar de tudo, ver sair o carro dois milhões, após vinte anos, deu-me um sentimento de dever cumprido. Contribuímos para o desenvolvimento do país desde 1995, e é para continuar.».

A 25 de junho chegámos aos três milhões de unidades produzidas. A história repete-se. Celebramos juntos (e em segurança) com os nossos colaboradores. Graças ao seu empenho, resiliência e profissionalismo retomamos a atividade durante uma crise sanitária sem precedentes.

Ricardo Gamboias, das Carroçarias, destacou três razões que nos distinguem: «A possibilidade de progressão na carreira profissional, a capacidade que temos em nos reinventarmos, como agora no caso da COVID-19 e o facto de termos boas condições de trabalho.» E numa data especial como a de hoje, acrescentou: «O nosso fundamento que faz mais sentido para mim é o sétimo. “Nós cumprimos com a nossa palavra.”. Este é o mais importante, porque é aquilo que nos define enquanto pessoa e trabalhador.»

Durante a foto e encontro com os colegas, Maria Cavaleiro, da Montagem não escondia o orgulho. «Sim, hoje podemos dizer que “Nós temos orgulho no resultado do nosso trabalho”. A Volkswagen Autoeuropa é isto tudo: qualidade, conceituada e uma empresa que cuida dos seus trabalhadores a nível pessoal e profissional.»  O Fábio Tavares, da Montagem, juntou-se à equipa também em 2017 e é indiscutível o orgulho que sente nos carros que faz: «Quando vejo na rua um produto que ajudei a construir. Saber que pertenço a uma das fábricas com melhores índices do Grupo e que se preocupa com os seus colaboradores. Saber que, como nos fundamentos do Grupo, vivemos o que dizemos e “Nós abrimos novos caminhos”».

Já são 3.000.000 «on the road». E cada um transporta em si o orgulho e dedicação de uma equipa. Preparados para o próximo destino?