A carregar

Carro perfeito

Carro perfeito

Texto Vânia Guerreiro

Fotografia Luis Viegas

Empreendedorismo coloca o centro dimensional e de análises de qualidade na vanguarda. Desenvolvimento interno de um modelo de controlo de dados digitais permite novas simulações digitais na análise do produto e uma poupança significativa face aos antigos modelos físicos. Este é o sistema de visualização do carro perfeito que vamos construir e vender ao cliente.

4 min. leitura

Texto Vânia Guerreiro

Fotografia Luis Viegas

Empreendedorismo coloca o centro dimensional e de análises de qualidade na vanguarda. Desenvolvimento interno de um modelo de controlo de dados digitais permite novas simulações digitais na análise do produto e uma poupança significativa face aos antigos modelos físicos. Este é o sistema de visualização do carro perfeito que vamos construir e vender ao cliente.

B

runo Rodrigues é engenheiro mecânico de formação e é o seu espírito inquieto e curioso que o move em tudo o que faz.

Em miúdo, gostava de brincar com jogos de construção com LEGO, e com os primeiros computadores e consolas (ZX Spectrum e Playstation 1). Já trabalhou na construção e programação de drones e, atualmente, é responsável pela gestão do modelo de controlo de dados digitais que permite a visualização em 3D do T-Roc e do Sharan.

Em 2018, o centro dimensional e de análise de qualidade deu continuidade ao desenvolvimento do modelo de controlo de dados iniciado em Wolfsburg, investindo na aquisição de software e hardware gerando uma poupança de cerca de 200 mil euros. Para o efeito existe uma «sala virtual móvel» onde se encontra o software Autodesk VRED com óculos 3D adquiridos em 2019. Em desenvolvimento, encontra-se o modelo de controlo de dados digitais (DKKM) do Sharan e SEAT Alhambra e do T-Roc.

>

"Este modelo digital é o nosso vídeo-árbitro."

Cada vez medimos menos e analisamos mais volume de dados.

Bruno Rodrigues

 

 

Em parceria com outras áreas, consegue-se partilhar a visualização de peças protótipo antes do seu desenvolvimento em Wolfsburg, na Alemanha. «Assim, antecipamos potenciais erros de design e podemos evitar a produção de peças com conceitos errados. Para a fábrica, em contexto de produção, é uma grande vantagem. O software permite-nos atualizar sempre o sistema com as versões mais recentes das nossas peças para comparações constantes. Confere-nos antecipação de potenciais problemas, diminuição de retrabalhos e esclarece questões com o encaixe de peças que não acrescentam valor ao design e produção do produto. Desta forma conseguimos também participar mais no design juntamente com a nossa fábrica-piloto e com a engenharia de produto.», refere Bruno Rodrigues.

Aos seis anos queria ser futebolista. Hoje, é o único expert em Portugal reconhecido pela GOM, empresa internacional de metrologia industrial em 3D. Para Bruno, «são necessárias novas competências. Cada vez precisamos de medir mais rapidamente e analisar mais volume de dados. Esta é a diferença dos sistemas digitais face aos analógicos. A digitalização permite obter mais informação em menor tempo, permitindo analisar desvios ao longo do tempo nas peças em toda a sua superfície com os mapas de cores. Traz também novos modelos de trabalho em ambiente virtual com partilha de conhecimento entre as fábricas em todo o mundo. A transferência de conhecimento é mais rápida, eficaz e com menor impacto ambiental.»