A carregar

Da impressão ao e-paper

Da impressão ao e-paper

Texto Vânia Guerreiro

Fotografia Luis Viegas

26 outubro, 2020

E-paper lança a transformação digital na logística com inovação e otimização de processo na montagem, eliminando a impressão e manuseamento de listas de material nos «supermercados» de abastecimento à linha.

4 min. leitura

Texto Vânia Guerreiro

Fotografia Luis Viegas

26 outubro, 2020

E-paper lança a transformação digital na logística com inovação e otimização de processo na montagem, eliminando a impressão e manuseamento de listas de material nos «supermercados» de abastecimento à linha.

  1. Da impressão ao e-paper

A

Volkswagen Autoeuropa orienta o ganho de eficiência dos seus processos de acordo com o conceito Industria 4.0. Naturalmente, também os processos logísticos de abastecimento de peças à linha de produção se orientam pelos princípios da Logística 4.0.

A digitalização dos processos assume-se como a pedra basilar para alcançar esta visão, uma vez que com a existência de dados digitais é possível fazer correlações e predições dos fluxos logísticos cada vez mais complexos e com necessidade de comunicação em tempo real.

>

 

 

O e-paper
O projeto está alinhado com a estratégia de otimização do processo logístico e respondeu à necessidade de eliminar a impressão e manuseamento de listas de material sequenciado nos «supermercados» de abastecimento à linha de produção na montagem.

Anteriormente, todas as listas eram impressas em papel e manuseadas por operadores, levando a um consumo de papel muito elevado e uma ocupação do tempo de trabalho com um processo sem valor acrescentado para a construção dos veículos. As listas eram necessárias para o acompanhamento do material de produção à linha de montagem e assegurar a rastreabilidade e sequencialidade da entrega do material.

Agora, com o e-paper, nesta operação logística nos «supermercados», as peças são recolhidas, sequenciadas e rastreadas corretamente com recurso a tablet PCs e scanners sem fios de dedo (ring scanner) para garantir que o material é posicionado na mesma sequência dos carros que chegam à linha de montagem.

«Em parceria com três fornecedores, a T-Systems, a Secure Retail e a Display Data, foi desenvolvida uma solução que permitisse transferir as imagens das listas num dispositivo digital simples, montado nas estruturas metálicas de abastecimento à linha de produção, baseado na tecnologia e-ink. Os dispositivos são atualizados com novas listas à medida das novas recolhas de material de produção e dispõem de baterias que permitem uso continuado 24/7 entre dois anos e meio a três anos.», explica Miguel Redmont, coordenador de planeamento logístico.

Deixámos de imprimir 1,5 milhões de folhas A4 por ano. São mais de 200 árvores preservadas.

Miguel Redmont
Coordenador de planeamento logístico

Os desafios
A ideia de utilizar a tecnologia e-ink foi inspirada nas etiquetas eletrónicas que já é possível ver no retalho. A sua utilização em contexto industrial e, concretamente nos processos logísticos, trouxe, contudo, alguns desafios como Redmont descreve: «a circulação dos e-papers em meios móveis com o material sequenciado entre o supermercado e a linha; a ressincronização dos e-papers junto das suas antenas de rádio frequência dos supermercados; a monitorização remota dos níveis de bateria e criação de alarmística para manutenção preventiva e de anomalias de atualização de dados nos e-papers; o estabelecimento de processos rápidos de impressão de emergência em caso falha; a proteção dos e-papers para evitar danos em processo de sequenciação e no transporte e, por último, a formação e lançamento em ambiente de laboração continua com quatro turnos rotativos.»

Os benefícios
Os principais benefícios do projeto decorrem diretamente da digitalização do processo que levou a uma redução significativa no consumo de papel e à redução do tempo de processo despendido pelo operador. «Acreditamos que este projeto é um bom exemplo de como a transformação digital nos processos produtivos poderá contribuir para a redução do impacto ambiental da indústria.», destaca Redmont.

Perspetivas futuras
Os bons resultados obtidos com a implementação deste processo, levaram a equipa a identificar novas oportunidades de utilização desta tecnologia, como indica Redmont: «Neste momento estamos já a proceder à identificação desses processos logísticos. Depois das estruturas metálicas, as racks, estamos a explorar a extensão da solução e-paper aos processos em que se recorrem a caixas para sequenciação; às listas de controlo de sequenciação nos supermercados e aos pontos de consumo de material nos supermercados.».

A equipa do projeto: de trás para a frente, da esq.ª para a dt.ª: Paulo Vasco, Helder Rodrigues, Luís Carolino, Paulo Sousa, Olga Morais, Ana Jacinto, Antónia Fernandes, José Gomes, Francisco Sousa, Rafael Barata, Flávio Jesus, Miguel Jerónimo (Rangel), Miguel Redmont, Pedro Percheiro e Cátia Maia.